• ---
  • Máx: ?
  • Min: ?

  • ---
  • Máx: ?
  • Min: ?

Notícias

Demanda por exames de média e alta complexidade e descaso das pessoas com agendamentos médicos preocupam Secretaria de Saúde

Secretaria de Saúde - Publicado em 26/04/2019 às 16:49 - Atualizado em 26/04/2019 às 18:30

Sede da Secretaria de Saúde
Créditos: Bertoldo Kirchner Weber/Assessor de Comunicação Município de São Ludgero Baixar Imagem

     Nos últimos anos, avanços importantes nos atendimentos na área da saúde de São Ludgero aconteceram, inclusive, com investimento chegando a mais de 22% da receita da Administração Municipal em 2018. O bom atendimento é visível e pode ser comprovado em toda Rede Municipal de atendimento. Dois assuntos preocupam a secretaria: um trata-se dos exames solicitados pela população de média e alta complexidade, de responsabilidade do Estado, que muitas vezes demora para serem liberados e o outro ponto trata-se da falta de responsabilidade das pessoas ao agendarem consultas com os profissionais e não comparecerem.

     Todo atendimento na área da saúde inicia nas três Estratégias da Saúde da Família (ESFs) ou na Unidade Sanitária Central de Saúde Noemy Pereira Sombrio (Pronto Atendimento). A partir dai os encaminhamentos são feitos pelos diversos profissionais. E é ali que a primeira preocupação é gerada, podendo ser considerado um descaso por parte do cidadão com outras pessoas, com os profissionais da saúde e o próprio dinheiro público. “Vou dar um exemplo básico: A pessoa chega na unidade, agenda o dentista ou médico e no dia e horário não comparece. Outra pessoa poderia ser atendida, o profissional fica lá esperando, e o dinheiro público é investido. Aproveitando, existe mais uma situação de descaso referente aos resultados de raio-x e eletrocardiograma. As pessoas fazem os exames e não buscam para apresentar aos profissionais. E ai vai mais dinheiro público. O pedido é para que as pessoas tenham consciência, sejam mais responsáveis. As informações já estão sendo inclusas no sistema de informática da rede para conhecimento de todos os profissionais”, pontua a Secretária de Saúde, Nilva Schlickmann Pickler. A segunda preocupação é em relação aos agendamentos para realização de exames de média e alta complexidade, de responsabilidade do Estado. Após, solicitados os exames pelos profissionais que atendem no setor público, o cadastramento é feito no Sistema Único de Saúde (SUS), entrando para a lista de espera. “É comum pessoas questionarem sobre a urgência. Neste caso, sempre é explicado que a classificação, conhecida como regulação não é feita pela Secretaria de Saúde e sim pelo Estado”, esclarece a secretária. Ela completa explicando que parte da demanda é atendida através do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Amurel (Cis Amurel). “O município está fazendo sua parte, através da equipe da saúde com o aval da gestão municipal. No caso dos exames básicos, em sua maioria são feitos nos laboratórios existentes na cidade”, reforça. Nilva faz a observação, ainda, que se a secretaria tiver condições financeiras e decidir pagar exames de média e alta complexidade, mesmo assim precisa seguir a lista do SUS. “Lembro ainda que emendas parlamentares de deputados federais, destinadas a manutenções básicas da saúde nos municípios, não podem ser usadas para compra destes exames”, detalha.

      O prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, é objetivo em dizer que é preciso acabar por completo com o tal do ‘jeitinho brasileiro’. “Tudo que é possível dentro da legalidade, a nossa equipe da saúde de São Ludgero faz pelas pessoas. Não é justo uma pessoa receber um não e dizer que todo o atendimento na área na saúde é ruim. Estamos sempre abertos para receber sugestões que visem a coletividade. Pressão individual não funciona na nossa gestão. Existem responsabilidades do município e do Estado e é ai que ainda não está claro para muitas pessoas. Muitos pensam e acreditam que é dentro da secretaria de saúde, com dinheiro do município, que se revolve tudo. Trabalhamos para atender e beneficiar o coletivo. Existem leis e regras que precisam ser respeitadas, mesmo não sendo moralmente corretas. Vamos ao limite do que é possível. Regras existem não só no poder público da nossa cidade, mas no setor privado, a exemplo dos planos de saúde. Sabemos que o ideal seria que todos os pedidos feitos pelas pessoas, pudessem ser atendidos, prontamente. Mas, a parte financeira não alcança tudo isso. Avançamos muito e seguiremos melhorando, com respeito às pessoas e igualdade de direitos”, comenta o prefeito sobre o assunto.

   Consultas das listas de esperas no SUS – Através do portal www.listadeespera.saude.sc.gov.br, pesquisas podem ser realizadas com CPF ou Cartão Nacional do SUS, sobre informações de posição e previsão de atendimento nas listas por serviços de saúde no Sistema Único de Saúde.

    


Galeria

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar